Sábado, 05 de Dezembro de 2020

Territórios Sustentáveis fortalecem práticas ambientais em Tucumã, Água Azul, São Félix e Ourilândia




COMPARTILHE

Seu Idalto Mendes é produtor rural na Vila Nereu, a 41 km de São Félix do Xingu. Na fazenda de 217 hectares, ele cria 170 cabeças de gado e tem sete hectares destinados à plantação de cacau e 10 hectares de milho.

Ele busca o equilíbrio entre as áreas de pasto e a vegetação nativa. Nem sempre foi assim, o produtor nascido em Goiás, lembra que quando chegou aqui no Pará, em 1999, achava que desmatar e fazer pasto era a melhor maneira de ganhar dinheiro. “O pasto foi secando, a nascente secou e ficamos sem água, foi uma crise”, lamentou Idalto, que há seis anos, passou de desmatador a plantador, após entender que a floresta em pé gera mais benefícios.

Agora, seu Idalto planta milho e cacau e começou a recuperar a nascente do rio, com uma técnica que usa várias espécies de vegetais plantados às margens da nascente. Ele é só um exemplo de que a preservação da floresta e a conduta sustentável podem gerar ainda mais lucro para o produtor e incrementar a economia nas comunidades. Esse é o objetivo do programa Territórios Sustentáveis, um dos pilares da macroestratégia do Governo do Estado, o “Amazônia Agora”, coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

Coordenador do TS e secretário adjunto da Semas, Raul Protázio, ressalta que o Grupo de Trabalho do TS é formado por várias secretarias e órgãos ambientais ligados ao setor produtivo e ambiental do Estado. “É um marco na história fundiária e ambiental do Pará. Um trabalho que reúne todo o aparato do Estado na busca pelo desenvolvimento social e econômico no campo, de maneira sustentável”.

A primeira etapa prática do projeto já começou. Técnicos da Emater e Adepará fazem o atendimento presencial aos produtores rurais nos polos das respectivas instituições, em São Félix do Xingu. Nessa fase inicial, serão atendidos os produtores rurais e proprietários da região do Xingu, na PA-279, que abrange os municípios de Tucumã, Água Azul do Norte, São Félix do Xingu e Ourilândia.

O gerente do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), Dilson Lopes, explica que a concepção de trabalho do Territórios Sustentáveis é fundamental para garantir a sustentabilidade na utilização dos recursos florestais, em uma região repleta de Áreas de Preservação Ambiental, nem sempre respeitadas. “A APA Triunfo do Xingu tem alta produtividade, é um mosaico criado para que nós protegêssemos esse legado ecológico. É importante garantir a produtividade e a preservação da floresta”, observa o gerente do Ideflor, Dilson Lopes. 

Quem se inscreve no programa, tem acesso a regularização fundiária e ambiental, linhas de crédito para investir na produção, apoio técnico para potencializar o trabalho no campo e outros benefícios. As equipes responsáveis pelas inscrições presenciais irão visitar as fazendas da região, até o dia 7 de agosto. O atendimento presencial pode ser feito nos polos da Emater e Adepará em São Félix do Xingu, também, pelo site da Semas, no endereço eletrônico: www.semas.pa.gov.br


Autor:AMZ Noticias com Anna Paula Mello


Comentários:
O Jornal do Carajas não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal do Carajas e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias